Fio de Ariadne: Gestações

29 dezembro 2012

Gestações



Nove meses. Tempo suficiente para alguém se formar. Um ínterim na eternidade e o não-existir vira presença, enche a casa, a vida, o coração. Não mais silêncio, não mais quietude. E, para aquele novo ser que vem ao mundo, não mais o conforto da proteção absoluta. Agora o novo. A dor do parto, o desafio de crescer, a inquietação de estar no mundo. Nove meses para se formar. É forte. Pesa. Fazer um embrião tornar-se gente é um susto da vida. Nascer é uma violência necessária. Pobre criança que, ao vir ao mundo, nem imagina que vai ter de nascer muitas outras vezes. Muitos ciclos virão. Muitas formações. Chegar aqui significa apenas completar a primeira delas. A vitória principal de tantas outras que serão conquistadas. Muitas gestações. Muitos partos. E, depois deles, outros passos. Não mais o conforto da barriga, mas agora o bônus de vencer a primeira etapa. Os primeiros nove meses de luta. Outros nove meses virão. Muito mais a se formar. Sucessivas vitórias. E a alegria reincidente de aprender mais a cada dia e entender que a vida tem, sim, algumas batalhas, mas que elas servem pra tornar a conquista ainda mais saborosa. A cada degrau, um sorriso, uma lágrima de alegria, a satisfação de superar o mundo e de superar-se. O encantamento de nascer de novo.

Um comentário :

comosougirassol disse...

Lindo texto... bela reflexão!