Fio de Ariadne: Sombras

15 fevereiro 2011

Sombras


É uma sombra, uma foto amarelada. É uma tela inacabada que insiste em adornar minhas lembranças. É um sentimento interrompido, oprimido, reprimido. Uma dor sem comprimido. É um programa de TV popularesco, desses que repetem exaustivamente as imagens e clichês, crucificam os vilões, santificam os mocinhos. É uma fuga sem sucesso: sempre sou capturada.

É um jogo confuso, já perdido, mas insisto em jogar. Eu contra eu mesma. Nenhum adversário, a não ser minhas próprias recordações. Mexe com o coração, mas sobretudo queima fosfato. Quem explica?

É insônia, é algema, é fantasma. Quiçá apenas uma revolta escondida. Vez ou outra cutuca. E eu, tolinha, sempre me viro para dar ouvidos a ela.

Um comentário :

Carol Jardim disse...

Saia de debaixo da árvore que você verá o céu azul, o sol. :) Saudades também, flor do campo...Bjokas