Fio de Ariadne: Tanta saudade

24 outubro 2010

Tanta saudade


É como se tivesse um buraco. Dá até pra sentir o vento passando. Falta alguma coisa. Desconfio que seja meu coração. Mas ele está lá ainda. Continua onde sempre esteve, pra te abrigar sem ressalvas. O problema é a saudade. É ela que faz o buraco. Eu puxo o ar com força. O buraco continua lá. É porque você não está aqui. Às vezes esqueço que saudade dói tanto. Ela cria o vazio da lembrança. É uma projeção. A gente vê, sente (e como sente!), mas não toca. É uma imagem vazia. Um filme que a gente quer continuar e não consegue. Não consigo tocar seu rosto, sentir seu perfume, nem ter o seu abraço de novo. É aí que dói. O ver e não ter, o sentir e não tocar. Como disse Clarice Lispector, é “como se faltasse um dente na frente”.

Por favor, venha logo. Antes que eu me perca inteira.

4 comentários :

Talita Cruz disse...

Saudade é a minha companheira constante. É exatamente como disse Clarice..é excrucitante. Bjss

Cris Mereu disse...

Entendo bem dessa dor, desse vento que passa e diz que um dia trará comodidade, é pura mentira...
Lindo texto, Di!
Bjão

Carol Jardim disse...

Di, ontem estava com a mesma sensação quando fui ler o seu post. Já era madrugada aqui em Madri. Em vez de estar na rua com os amigos, fiquei em casa, sozinha, terminando uma das 3 matérias do mestrado. Deu saudade. Parei e ouvi uma música linda, indicada por um amigo. Senti-me bem novamente, feliz, leve. Fiquei pensando como podemos sentir esse buraco sendo que o mundo nos oferece milhões de coisas para preenche-lo. A música foi uma grande companheira. Olha que lindo: http://www.youtube.com/watch?v=cIHKwc4oVDM

Ariadne Lima disse...

Carol, minha linda, amei a música. Obrigada por compartilha-las. Beijo!