Fio de Ariadne: Zé

26 julho 2010

Uma homenagem a todos os "Zés" (em todos os sentidos)
que encontramos por aí...




Você dita ao meu coração o que ele não quer aprender, Zé
Você faz com que o meu coração siga a tua receita só
Não, quero que aceite o jeito que eu te dou de mulher
Não! E aproveite: o resto o tempo dá jeito
Mesmo que tenha a minha oração,
Que você dispensa, Zé
Você faz com que o meu coração siga a tua beleza só
Vá lembrar a tardinha quando nos conhecemos, Zé
Havia uma beleza ali ou era criatividade minha?
Quando andava pela rua, cor de sol amarelo-ouro
Me fitava e eu me avermelhando,
Som de jardim de sonho
Zé, era seis da tarde, dia e escuridão.
Tinha tom, sino e alarme roubando o meu coração.
Hortelã, alecrim e jasmim, ave-Maria cantando.
Ela tão satisfeita por mim e eu num galho de sol,
Que nem passarinho, que nem passarinho.
Desvanecida de amor, cor de carmim.

Vanessa da Mata

Um comentário :

Anônimo disse...

Sentimento são assim: ou a gente é mais forte que eles ou nos dominam.

Abraços http://thaleca.blogspot.com
ou http://blognajanela.blogspot.com