Fio de Ariadne: Ele não está tão a fim de você

05 junho 2010

Ele não está tão a fim de você


Impossível lembrar do leve e divertido filme “Ele não está tão a fim de você” sem lembrar da personagem Gigi, de Ginnifer Goodwin. O filme retrata bem o universo feminino, contando diferentes histórias, de diferentes mulheres. Identifiquei-me com muitas delas, mas criei com Gigi um elo especial. Talvez porque tenha ouvido comentários sobre nossa semelhança física, talvez porque ela goste de roxo tanto ou mais que eu, mas acho mesmo que pela forma infantil (no melhor sentido) como ela vê a vida e espera seu grande amor.

Muitas vezes me encantei por caras que “não estavam tão a fim de mim” e sei que isso pode acontecer muitas outras vezes. O que eu não quero perder é isso que Gigi tem: a certeza de que uma hora eu vou acertar. Uma das melhores cenas, na minha opinião (se você não viu o filme, não continue a ler este parágrafo), é aquela em que Gigi, depois de levar um fora do moço por quem está apaixonada, diz a ele que está muito mais próxima de deixar de ser sozinha do que ele. Verdade. Muito mais triste o amor não recebido porque fugiu-se dele do que o amor não recebido porque não encontrou-se no outro um terreno fértil.

Não quero protagonizar uma busca tresloucada como a de Gigi, mas quero ter a certeza de que SINTO, com todas as letras, e de que todo sentimento que vir de mim, correspondido ou não, será verdadeiro, intenso e eterno enquanto dure. É um exercício e tanto esse de conviver com um sentimento, e só com ele, sem que ele se materialize nos gestos de outra pessoa. Cansado de bater e ninguém abrir, como diria meu mestre Renato Russo, ele acaba mudando de alvo, mas um dia, como certamente diria minha amiga Gigi, um dia a gente acerta. E aí é só, literalmente, correr pro abraço. :)



Amor, meu grande amor
Ângela Roro e Ana Terra

Amor, meu grande amor,
Não chegue na hora marcada.
Assim como as canções
Como as paixões
E as palavras.

Me veja nos seus olhos,
Na minha cara lavada.
Me venha sem saber
Se sou fogo
Ou se sou água.

Amor, meu grande amor,
Me chegue assim
Bem de repente,
Sem nome ou sobrenome,
Sem sentir
O que não sente.

Pois tudo o que ofereço
É meu calor, meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim até o começo.

Amor, meu grande amor,
Só dure o tempo que mereça
E quando me quiser
Que seja de qualquer maneira.

Enquanto me tiver,
Que eu seja
O último e o primeiro
E quando eu te encontrar,
Meu grande amor,
Me reconheça.

3 comentários :

jefhcardoso disse...

O amor não tarda, ele só vem na hora certa. Enquanto isso, aproveite a vida.
Boa semana.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Isabela Pimentel disse...

Texto lindo, como todos os outros!

Parabens ariadne!

Adorei a forma como escreve!
Abs,
Isabela


HTTP://hojeempauta1.blogspot.com

Ariadne Lima disse...

Oi, Isabel! Obrigada pela visita! Que bom que gostou! Abração!