Fio de Ariadne: Acima do sol (e de outras coisas)

20 junho 2010

Acima do sol (e de outras coisas)


Não faz muito tempo, soube, por acaso, que a banda mineira Skank faria um show no Mineirão para a gravação de seu próximo DVD. Achei legal, mas confesso que não fiquei muito empolgada. Algumas pessoas me perguntaram se eu iria ao show e minha resposta sempre era não. Acontece que a gente não manda nada na vida da gente. Na véspera da apresentação, que foi nesse sábado, 19 de junho, uma amiga me ligou dizendo que estava com um par de ingressos e que havia separado um para mim. Eu, mineiríssima, respondi de pronto: “uai, se é assim, eu animo”. Fiz um intensivão de Skank durante o dia, pois não queria fazer feio no show. Gostei muito da banda no passado, mas, de uns tempos pra cá, já não acompanhava muita coisa.

Combinamos de chegar mais cedo para conseguir um bom lugar. Então, lá fui eu, com o dia ainda claro, para o show. Mal sabia que estava recebendo um presente de Deus, em um dia, que sabemos bem, Deus e eu, que eu estava precisando. Enfim, conseguimos um bom lugar, a poucos metros do palco. Depois de bastante espera, finalmente a banda apareceu. Samuel Rosa estava visivelmente feliz e eufórico em ver o Mineirão lotado. Cerca de 60 mil pessoas. Realmente, foi emocionante. O show foi muito bacana, longo, e me fez lembrar o quanto Samuel Rosa manda bem nas letras das músicas.

A banda tocou muitas canções que me transportaram ao passado, muitas músicas que aprecio. Decidi colocar uma delas no blog, mas confesso que foi difícil a escolha. Eu poderia enumerar muitas que me tocam e que acho fantásticas. Poderia colocar aqui pérolas como Dois Rios, Tanto, Te ver, Tão seu, Sutilmente, Ainda gosto dela, Amores imperfeitos ou Resposta, que é uma música que mexe demais comigo, mas escolhi uma que, embora não seja tão profunda como algumas das que citei, foi uma das que mais me tocaram no show. Espero que apreciem e que Samuel Rosa continue nos brindando com a sabedoria e a doçura de suas palavras.

Acima do sol
Samuel Rosa/Chico Amaral



Assim ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Tão fácil perceber
Que a sorte escolheu você
E você cego nem nota

Quando tudo ainda é nada,
Quando o dia é madrugada,
Você gastou sua cota

Eu não posso te ajudar,
Esse caminho não há outro
Que por você faça

Eu queria insistir,
Mas o caminho só existe
Quando você passa

Quando muito ainda é pouco,
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol

Mas quando sempre é sempre nunca,
Quando ao lado ainda
é muito mais longe
Que qualquer lugar

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Se a sorte lhe sorriu,
Porque não sorrir de volta?
Você nunca olha a sua volta

Não quero estar sendo mal,
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim, eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis.

3 comentários :

Talita Cruz disse...

Eu não conheço muito a banda, mas resposta tb é uma música que mexe muito comigo. Que bom que vc teve um dia que precisava, a música as vezes funciona como um remédio..bjss

Raquel disse...

bacana o seu diário de bordo!

Lígia disse...

Entendi!