Fio de Ariadne: Ostrachismo (ou Carta à uma ostra)

30 maio 2010

Ostrachismo (ou Carta à uma ostra)


Não tenho piedade da sua solidão,
do seu ar calcificado,
do seu mundo calado.

Tenha, você, piedade de mim,
do meu ar poluído,
do meu mundo caído,
dessa guerra sem armas,
do confronto de carmas.

Hoje tudo o que eu acho
é que na minha concha
eu me acho.

E invejo seu mundo.
Unicamente seu.

Um comentário :

Raquel disse...

me apetecem, as ostras