Fio de Ariadne: Quem tem medo de vacina?

10 abril 2010

Quem tem medo de vacina?


Nunca tive medo de vacina. Sempre fui corajosa. Já tomei vacina contra a gripe sazonal umas três vezes e jamais apresentei reações. Sinceramente, não me recordo a última vez que tive uma gripe de verdade. Sendo assim, seguindo o velho clichê, melhor não mexer em time que está ganhando. Fui lá, toda pimpona, tomar a vacina contra o H1N1. Feliz da vida, por ainda estar na faixa etária da primeira remessa de vacinados, encarei a agulhada já no segundo dia de campanha. Até aí, nenhuma novidade.

O problema veio à noite. À primeira esquisitice, não liguei uma coisa à outra. Achei que fosse cansaço ou um mal estar passageiro. Só desconfiei quando comecei a tremer de frio. A temperatura ambiente estaria mesmo tão baixa ou a minha é que estaria quente? Sei apenas que tudo o que eu queria era dormir e, como havia tomado um remédio, não me preocupei muito com o frio. Apaguei. No dia seguinte, uma bambeza estranha, que julguei ser ressaca de enxaqueca, coisa à qual já estou, de certa forma, acostumada.

Demorei a entender que estava, na verdade, apresentando reações à vacina. Caiu a ficha quando ouvi depoimentos de outras pessoas que, depois da imunização, tinham ficado “estranhas”. E eu estava MUITO estranha, diga-se de passagem. Além da inevitável dor no braço, a cabeça estava zoada, assim como eu fico quando tomo algumas tacinhas de vinho. Enfim, eu fiquei tonta, com dores no corpo, minha garganta ficou um pouco dolorida, meio tapada até eu diria, perdi totalmente o apetite (coisa rara, quem me conhece sabe). Foi então que veio a febre, a ardência nos olhos e a dor de cabeça. Eu, que tenho enxaqueca, como já disse, tive nesse dia uma das maiores dores de cabeça da minha vida.

Já passou. Durou pouco mais de dois dias. Não foi nada agradável. É difícil não saber ao certo o que está acontecendo com o nosso corpo. Fiquei imaginando: se fragmentos do vírus fizeram isso comigo, o que faria o vírus inteiro? É por isso que não me arrependo de ter tomado a vacina e é por isso que sou à favor da campanha. Há quem diga que a imunização é bobagem, que, como o vírus é mutante, a vacina terá pouca utilidade. Há também os "apocalípticos", que acreditam que a gripe suína é invenção das grandes indústrias farmacêuticas ou que a vacina seja uma armadilha à saúde pública. Não sou tão radical. Tenho minhas dúvidas sobre o grau de eficácia, mas acredito que traga mais bem do que mal, até que se prove o contrário.

E você? Já foi ao posto de saúde?

3 comentários :

Thaís. disse...

não é a vacina...é a agulha! hahaha

Thaís. disse...

Oooi!
Obrigada! Volte sempre mesmo!
:)
otima semana:*

Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar boa semana

bjsssss

aguardo sua visita :)