Fio de Ariadne: Um dedo de verso

20 março 2010

Um dedo de verso


Estava no meu canto santo,
ensaiando meu santo canto,
contando com alguém pra prosear.
Queria, queria muito falar!
O cheiro de mato, o verde.
Um dedo de prosa viria a calhar.

Grande descoberta fiz no meu cismar:
Prosa e eu não cabemos no mesmo lugar!
Alguém aceitaria versejar comigo?

Um comentário :

Leonardo Xavier disse...

Eu acho que saber o que a gente não quer ser parece tão fácil. Difícil é saber e conseguir ser aquilo que a gente deseja.